A Arquitetura Corporativa de Sistemas visa desenvolver a análise, o entendimento e a modelagem conceitual do negócio da organização.

Resulta em uma visão global das necessidades de sistemas de informação em uma organização.

A Análise da Estratégia de Negócio objetiva obter e entender a visão estratégica do negócio. Identifica e documenta a missão e objetivos principais da instituição, o que as áreas funcionais devem fazer para que tais objetivos sejam atingidos, como as áreas funcionais quantificam seus resultados, como especificam e realizam as ações a serem tomadas para o alcance dos objetivos globais, quais são os fatores críticos de sucesso e quais problemas dificultam o alcance de tais fatores. O resultado desta etapa é a definição dos Requisitos de Informação, ou seja, quais são as informações necessárias para gerenciar os fatores críticos de sucesso da instituição.

A Modelagem dos Processos objetiva identificar e mapear os processos existentes na Instituição, inicialmente no nível estratégico e em seguida detalhando os processos existentes nos níveis intermediários. Os processos devem ser modelados usando-se diagramas que permitam uma compreensão acurada por todas as pessoas envolvidas (gestores, administradores, usuários e profissionais de TI). Em seguida os processos identificados são confrontados com a Análise Estratégica do Negócio e é sugerida uma reengenharia dos processos sempre que forem identificadas oportunidades de melhoria.

A Modelagem dos Dados que suportam os Processos considera os Objetivos Globais, as metas e atividades de cada área funcional, as necessidades de processamento e as necessidades gerais de informação, estabelecendo as "Visões" dos diversos conjuntos de usuários sobre os dados da empresa. Para cada Visão ocorre um processo de modelagem, onde são mapeadas Entidades, Identificadores e Relacionamento entre Entidades. Os modelos são representados e verificados. Após concluída a modelagem das diversas Visões, estas devem ser consolidadas, o que permite alcançar uma perspectiva global dos dados da Instituição e resolver eventuais conflitos de poder de funções sobre dados.

A definição da Arquitetura Global dos Sistemas é construída a partir da montagem de uma matriz de dados e processos onde os processos de negócio são ordenados na seqüência do ciclo de vida do Processo Global. As linhas representam os processos de negócio e as colunas representam as Entidades de dados. O preenchimento da matriz é feito a partir das descrições dos processos e das descrições das entidades. A matriz preenchida mapeará para cada processo quais entidades de dados são criadas, atualizadas ou utilizadas. A partir do mapeamento matricial realizado é possível identificar e definir o conjunto de sistemas que comporão o modelo ideal de Sistemas de Informação da Instituição.